A Educação 4.0 não é uma tendência, é uma realidade.

 09/06/2021

Esse termo está conectado com outra mudança importante de nossa sociedade: a Revolução Industrial.

Atualmente, estamos imersos na quarta versão desta revolução, conhecida também como Indústria 4.0, ou quarta revolução industrial, cujo foco é na melhoria da eficiência e produtividade dos processos.

Se na primeira revolução, os protagonistas eram o carvão e o ferro, agora, quem roubou a cena foi a tecnologia em seus diversos formatos.

Considerando que a educação 4.0 é um reflexo da quarta revolução industrial, deve acima de tudo atender as suas demandas, são elas:

  • A facilidade de acesso ao conhecimento de forma interconectada.
  • O uso da inteligência artificial na criação de sistemas automatizados.
  • Transitar entre as novas mídias e promover a aprendizagem com elas.
  • Acompanhar a velocidade da inovação em seus diversos formatos.
  • Favorecer e buscar o desenvolvimento de novas habilidades e competências constantemente.

Este novo modelo, se trata de uma nova rede conectada de termos e conceitos como internet das coisas, inteligência artificial, coleta e análise de dados, learn by doing, ou aprendizado relacionado a prática e não apenas a teoria.

São muitos caminhos diferentes para um único norte, desenvolver em alunos a autonomia nas situações de aprendizagem, ampliar o pensamento científico e criativo, assim como o repertório sobre a cultura digital, além de desenvolver habilidades como autoconhecimento, argumentação, comunicação, responsabilidade e cidadania.

E o que muda para os professores da educação 4.0?

Muita coisa! O que sabemos é que sem capacitação efetiva dos professores, a mágica não acontece.

Logo de imediato, o professor sai da posição da frente e vai para a posição ao lado do aluno, isto é, deixa de ser o detentor exclusivo do conhecimento e passa a ser um intermediador, um provocador, orientador destas descobertas, junto com o aluno.

Além disso, é necessário que o professor também desenvolva capacidades para operar em tempos de educação 4.0, e seja capaz de encarar o cenário como uma oportunidade de transformação ou recriação de sua metodologia de ensino.

Algumas habilidades são muito importantes para o professor da educação 4.0, entre elas:

  • Domínio de computadores, projetores de multimídias, lousas digitais e interativas, smartphones, e outras plataformas e gadgets que possam auxiliar na sua prática docente.
  • Desenvolver a flexibilidade para se colocar em diversos papéis em sala de aula, seja ele de aprendiz, pesquisador, intermediador ou orientador.
  • Ter metas definidas e claras para inovar nas situações de aprendizagem.
  • Conhecer novas tendências que possuem muita aderência na educação 4.0, como o uso das metodologias ativas, Steam, Stem, Addies, Moocs, etc.
  • Saber operar em espaços como espaço maker, fablabs e laboratórios de robótica, e aproveitá-los ao máximo.
  • Atender às 10 competências gerais exigidas pela BNCC, são elas o conhecimento, pensamento científico, crítico e criativo, repertório cultural, comunicação, cultura digital, trabalho e projeto de vida, argumentação, autoconhecimento e autocuidado, empatia e cooperação, responsabilidade e cidadania.

Você reparou que as competências e habilidades que são exigidas na educação 4.0 vão para um caminho diferente do que é feito atualmente na escola? Pois é isso mesmo!

Hoje a educação 4.0 não é mais uma tendência educacional, mas uma realidade, por isso, é urgente que os professores se adaptem a esta realidade para que de fato haja uma verdadeira conexão com a chamada Geração C de alunos, isto é, alunos que não conhecem o mundo sem a internet, muitos deles não viram o mundo sem o Google.

Nesse desafio de reinvenção da escola, este espaço passa a ser um centro de encontro e compartilhamento de conhecimento, com novos espaços e ambientes, novas propostas, e as vantagens são diversas:

  • Otimização da gestão escolar.
  • Democratização da educação.
  • Presença maior de aulas práticas, com maior interação de alunos e professores.
  • Resultados mensuráveis com os novos conhecimentos aplicados.
  • Jovens estimulados com o ambiente escolar e com maior autonomia de estudo.
  • Melhora da qualificação do corpo docente de modo geral.

Enfim, não há um modelo ou fórmula de como deve ser aplicado este conceito da educação 4.0, muito embora muita coisa interessante já foi feita no Brasil e diversos cases de sucesso aparecem todo ano.

O que é fato é que a mudança para o rumo da educação 4.0 deve acontecer o mais rápido possível nas escolas, pois esta exigência já está presente no mercado de trabalho, e o futuro caminha para uma intensificação deste perfil de profissionais.

Novos tempos exigem novas habilidades, e o modelo tradicional não dá mais conta do recado.

A educação 4.0 representa não o fim de uma era na educação, mas uma nova era com novas possibilidades e oportunidades para professores, gestores escolares e alunos, o primeiro passo é repensar o ambiente escolar e por a mão na massa.

Gostou do tema?

Então continue acompanhando as postagens em nosso blog, que falaremos muito mais sobre Educação 4.0 nas próximas semanas!

Agradecemos sua leitura.

Victor Gulart – Equipe de redação.

 

 

https://rupolomoveis.com.br/

#educação #educação4.0 #educacao #gestaoeducacional #projetos #metodologias #inovação #rupolomoveis #espaçomaker #culturamaker #makrspace #MOVEISESCOLARES

 

 

Curta Nossa Página

Dúvidas e orçamentos ?


Nosso Endereço

Rua Tiradentes, 371 - Centro, Espírito Santo do Pinhal - SP
CEP: 13990-000

Olá, posso ajudar?